PESQUISAR ESTE BLOG

30 de novembro de 2008

O NOVO RDPM: 200 ANOS DE EVOLUÇÃO OU DE RETROCESSO?

Apesar de estar quase enlouquecendo de tanto estudar, tenho estado a par do assunto em questão de mais valia para nós, Policias Militares fluminenses: O nosso novo RDPM, que está sendo discutido, debatido, encarado, temido (pelos oficiais), ansiosamente esperado (pelos praças) na ALERJ. Muitos são contra e muitos são à favor.

Lendo o Anteprojeto de Lei de autoria de nosso respeitadíssimo Dep. Estadual Flávio Bolsonaro, ao qual presto continências honradas, vejo um regulamento constitucional, de acordo com nossa Carta Maior, altamente democrático e justo. Como deveria ser, desde 1988, caso tivesse sido editado nesta data.

Vejo que alguns oficiais superiores estão indo de contra a maré e, sabemos quais são estes os motivos. Sabemos que, se tivermos um regulamento democrático aprovado, estes oficiais (ignorantes e temerosos, pois não conseguiriam jamais controlar uma tropa, já que não possuem EDUCAÇÃO E INSTRUÇÃO SUFICIENTES PARA TAL) supostamente perderiam suas regalias e não conseguiriam impor suas vontades arbitrárias perante à classe policial trabalhadora (praças).

Com isso, lutam com os deputados que têm rabo preso com eles, a maioria na bancada para que este regulamento não siga adiante. Já estamos todos sabendo que o Governador não aprovará mais nada que seja à favor da Polícia Militar (os praças) e seguirá as regras do acordo que foi estipulado com a compra dos coronéis do Alto Comando da PMERJ (223%).

É lamentável ver que, mentes retrógradas ainda lutam para terem nas mãos, um regulamento antigo e "ditatórico" com a finalidade de não terem trabalho para "segurar" a manada. Manada esta que eles entendem serem um bando de burros e ignorantes, que precisam ser manipulados e covardemente controlados para atenderem aos seus anseios.

Sabemos que hoje, a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro têm os melhores homens de todo este Brasil. Que são um bando de desgraçados, passando fome, sem as mínimas condições de trabalho e, ainda por cima, com a pior remuneração desta nação e mesmo assim dando seu sangue e suor por esta população que, muitas das vezes, não merece tanto. Fico triste quando digo que sou um policial, do Rio de Janeiro, e tenho a X remuneração. Tenho vergonha. De dizer que sou policial e, moro no Rio de Janeiro. E meu contra-cheque está visível e é publico. E faço questão de mostrar sempre que tenho oportunidade.

Contudo, é preciso coragem. Sabemos que a política controla nossa instituição. A politica podre, imunda, degradante. Entretanto, precisamos acreditar e, acima de tudo, incentivar e mostrar para nosso Governador que ele não precisa de Coronel de Polícia para se promover ou sei lá o quê. Precisa se promover sim, em cima da população que o elegeu.

O novo regulamento, se aprovado, dará início à uma nova era. Verdadeiramente genuína. E para aqueles que dizem que "estou aqui há 29 anos e nada mudou", digo o seguinte: tenham esperança. Pois ela é a última que morre. Eu tenho. Estou fazendo a minha parte. Se nada mudar, tenho projetos garantidos. Contudo, se vier a mudar, calaremos a boca daqueles que jamais acreditaram.

Daqui a pouco estaremos fazendo 200 anos. Caberá ao Governador fazer uma bela festa e comemorar com espírito ou, fingir para uma tropa e para a população fluminense, que está tudo indo bem e dando certo. Ele escolherá. Será sua últiama chance de mostrar sua dignidade como homem de palavra. Ele escolherá: evolução ou retrocesso.

Que assim seja.

FORÇA, HONRA, FÉ


4 comentários:

  1. Lí o ante-projeto e também enxerguei alguma evolução em relação ao atual.

    Realmente, nossos comandantes deveriam buscar mais aperfeiçoamento. Se estudassem de verdade (duvido), no mínimo, seriam baicharéis em direito e saberiam que o atual RDPM nada mais é que uma infeliz recordação da ditaduta militar que assombrou esse país durante muitos anos!

    Recordação que se materializa diariamente nas relações inter-pessoais dentro de nossa instituição, corroendo, dividindo, separando em castas.

    Reproduzindo a casa-grande e a senzala! Transformando pessoas em objetos, em coisas.

    Muitas mudanças devem vir porém, todas elas precisam ser cobradas pela sociedade.

    E assim me pergunto: A sociedade realmente quer uma polícia séria e eficiente?

    Pelo menos EU quero, como cidadão.

    Não me corrompo, não banco uma de brabo, ando de ônibus e meu dinheiro é contado!

    Já ouví o canto da sereia mas meu ouvido dá mais atenção aos combatentes mais antigos que já se quebraram nessa estrada...

    E como todo honesto estou fadado a ser o 'otário'. Poderia ser o 'bonzão'. Andar de vectra, ouro, nextel de 1.000 reais e molhar a mão do meu CMT e do meu SGT de cia...mas não...

    'O homem que se vende sempre recebe muito mais do que vale'. Creio nisso e sigo em frente.

    Sd 81 mil.

    ResponderExcluir
  2. Vcé assim como eu. Ando de ônibus, meu dinheiro tb é contado. Logo, como vc disse, sou otário tb. Mas por pouco tempo eu espero, pois pretendo logo passar em algum concurso público ou assim que terminar a faculdade, dar no pé. E deixar esta instituição corrompida para os coronéis políticos e praças acomodados. Estude amigo. E saia desta. A PMERJ dos dias atuais é um sorvete em clima de verão fora do freezer. E quem deveria fazer algo por ela está pouco se importando com algo.

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz ao ver Sd 81 mil dizer isso...
    Parabéns meu amigo,eu tbm acredito que vc vale mais como homem honesto do que um polícial corrupto...
    Eu acredito na existência de pessoas de verdade e é isso que ensino aos meus filhos!
    Que Deus esteja sempre com vcs!!

    ResponderExcluir
  4. OPERAÇÃO PAPAI NOEL !!!

    A PARTIR DE 10 DE DEZEMBRO !!!

    TODO MUNDO DE SEGUNDA FOLGA !!!

    TRABALHANDO DE GRAÇA DE NOVO !!!

    MEXAM-SE !!!

    ResponderExcluir

"Quando o Estado abandona seus servidores, deixando-os à mercê do outro lado, é porque, muito provavelmente, o Estado está do outro lado"

Giovanni Falcone, Juiz italiano especializado em processos contra a máfia siciliana Cosa Nostra.

"Uma sociedade é livre na medida em que propicia o choque de opiniões e confronto de idéias. Desses choques e confrontos nasce a Justiça e a Verdade, garantido o progresso e auto-reforma dessa sociedade".

Stuart Mill

“A injustiça que se faz a um é uma ameaça que se faz a todos”.

Barão de Montesquieu

"Aqueles que planejam o mal acabarão mal, porém os que trabalham para o bem dos outros encontrarão a felicidade"

Provérbios 12.20