29 de março de 2009

ANIVERSÁRIO DO CONTO DE FARDAS

O ESPAÇO VIRTUAL DESTINADO À LUTA À FAVOR DE MELHORES CONDIÇÕES DE SERVIÇO, MELHORES SALÁRIOS E ACIMA DE TUDO, DIGNIDADE E RESPEITO, ESPAÇO ESTE DEDICADO AOS SERVIDORES DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FAZ QUESTÃO DE AGRADECER AOS VISITANTES DO "UM CONTO DE FARDAS" NESTE 1º ANO DE VIDA!!

O BLOG FAZ ANIVERSÁRIO. MAS A FESTA ESTÁ PROGRAMADA. PARA O DIA EM QUE TIVERMOS MAIS RESPEITO DE NOSSOS SUPERIORES E VERGONHA NA CARA DE NOSSOS GOVERNANTES.

E ENQUANTO ISSO, A LUTA CONTINUA!

JUNTOS SOMOS FORTES!
NINGUÉM NOS ENVERGARÁ!!

FORÇA, HONRA, FÉ!

28 de março de 2009

UM CLIMA DE TENSÃO...E ESPERANÇA.

Diante da proximidade da comemoração dos 200 anos de criação da briosa, estamos aqui, nós, praças da PMERJ, ávidos e ansiosos, por mudanças que nos foram prometidas há algum tempo. Esta sensação, esta esperança, tende a contagiar as pessoas. Como um Ano Novo por exemplo. Sabemos que logo após a sua passagem, repetiremos aquele bordão "tudo outra vez", mesmo que momentos antes estávamos felizes pela chegada de um novo ano. Um paradoxo.

Mas esta característica é humana. E do meu ponto de vista, é boa. A esperança nos torna fortes para novos desafios. Se ela, estaríamos fadados ao fracasso. Mas onde eu quero chegar com essa conversa mole? Vou chegar lá.

Em primeiro lugar, não é qualquer instituição que faz 200 anos. E depois, os seus integrantes, que nela estarão, ficarão marcados de algum modo. Tudo bem que a PMERJ em si não tem todo este tempo. Na verdade, a briosa já teria completado 34 anos e na data de 15 de março passado. Isso devido ao fato de que a atual PMERJ é oriunda da unificação da PMEG (Polícia Militar do Estado da Guanabara, do antigo Estado da Guanabara, hoje cidade do Rio de Janeiro) com a PMRJ (Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, na época, todo o restante do Estado, com exceção ao Estado da Guanabara, obviamente)
em 1975, data da unificação dos dois estados e criação do atual Estado do Rio de Janeiro.

Em segundo lugar, temos a numérica propriamente dita. Os "200" anos. É um bicentenário, lógico. E temos um "duplo zero" que simboliza o começo absoluto, o vazio, antecedendo a todos os outros números. Representa a unidade imanifesta, a eternidade. E seguido pelo "2", temos o dobro. Isso é claro se levarmos em conta a data de criação da instituição.

Vejam que estou tentando procurar chifre em cabeça de boi. E como quem procura acaba achando, vou dar uma pausa neste texto. Mas eu acredito que mudanças ocorrerão. Se não acontecerem as "necessárias", as "por motivo de força maior" acabarão por ocorrer. Volto amanhã.

21 de março de 2009

BLOG DA PEC 300

ATENÇÃO CAROS POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS MILITARES!!
TEMOS UMA FORTE ARMA NA LUTA DA PEC 300. E esta arma é a INTERNET.
NESSA ONDA, INDICO AQUI O BLOG DA PEC 300
ACESSEM E DIVULGUEM.
VAMOS MANDAR E-MAILS. VAMOS TELEFONAR. VAMOS APARECER E COBRAR.
A HORA É ESSA!
FÉ EM DEUS. CHEGA DE DESIGUALDADE.
SEGURANÇA DE VERDADE JÁ. CHEGA DE CONVERSA.
QUEREMOS RESPEITO!

16 de março de 2009

PEC 300: VAMOS ACREDITAR! VAMOS LUTAR!!

Abaixo transcrevo comentário postado hoje, no post "PEC 300/2008":

Assembléia Legislativa de São Paulo faz moção de aplauso a PEC 300: Caro amigo, Acuso o recebimento de seu “e.mail” e agradeço o contato com o meu Gabinete. Quanto ao contido em sua mensagem, esclareço que o PEC 300/2008, do Deputado Federal Arnaldo Faria de Sá e outros, “que prevê que a remuneração de militares dos Estados não seja inferior aos dos Distrito Federal”, já foi aprovada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania e está tramitando em caráter especial. Levo, ainda, ao seu conhecimento que elaborei a Moção nº 3, de 2009, que, após sua tramitação nesta Casa de Leis, será encaminhada à Câmara dos Deputados, em apoio à aludida iniciativa parlamentar. Veja abaixo a Moção nº 3, de 2009 e a sua tramitação nesta Casa de Leis: 1) - Em 17/02/2009 foi publicada no Diário Oficial da Assembléia Legislativa (página 47) e em 27/02/2009 entrou na Pauta de 5ª Sessão. 2) Moção nº 3/2009: MOÇÃO Nº 3, DE 2009 Em 4 de novembro de 2008, o nobre Deputado Federal Arnaldo Faria de Sá apresentou a Proposta de Emenda Constitucional nº 300, de 2008, por meio da qual pretende a alteração da redação do § 9º, do artigo 144 da Constituição Federal, na seguinte conformidade: ?§ 9º - A remuneração dos servidores policiais integrantes dos órgãos relacionados neste artigo será fixada na forma do § 4º do artigo 39, sendo que a das Polícias Militares dos Estados, não poderá ser inferior a da Polícia Militar do Distrito Federal, aplicando-se também ao Corpo de Bombeiro militar desse Distrito Federal, no que couber, extensiva aos inativos?. Referida proposta contou com o apoio de cento e oitenta e quatro ilustres Deputados Federais que, juntamente com o autor da proposta, pretendem valorizar o trabalho que os policiais e bombeiros militares desempenham, sendo certo que ao tramitar pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) o parecer do Relator, nobre Deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), foi pela admissibilidade da proposta. Conforme se verifica, quase duas centenas de integrantes do Parlamento Federal, de plano, entenderam que são os policiais e bombeiros militares que se arriscam cotidianamente, colocando suas vidas em perigo para proteger a sociedade. A iniciativa também demonstra um reconhecimento ao complexo trabalho de polícia, para cujo universo de atividades, seja no exercício do policiamento ostensivo normal, urbano e rural; de trânsito urbano e rodoviário; ferroviário; portuário marítimo, fluvial e lacustre; ambiental; de rádio-patrulhamento terrestre e aéreo; em recintos fechados ou abertos de freqüência pública; em estabelecimentos penais; seja no exercício das atividades de bombeiro e na execução das atividades de defesa civil, necessitam de homens e mulheres, não apenas com coragem, mas que possuam conhecimentos, inteligência, perspicácia, tirocínio e discernimento sobre uma grande variedade de temas. Nesse sentido, sabendo-se que os policiais e bombeiros militares, tem que ser detentores de conhecimentos sobre vários ramos do direito, cuja diversidade, apenas nos permite enumeras alguns, tais como Direitos Humanos; Direito Civil; Direito Penal; Direito Processual Civil e Penal; Direito Administrativo; Direito da Criança e do Adolescente; Direito Ambiental; Direito do Trabalho; Direito Sindical; Direito Indígena; Direito Eleitoral; Direito Comercial; Direito de Informática e, uma relação exaustiva de seus desdobramentos, aliados à defesa pessoal, uso de armas de fogo, atendimentos de emergências, extinção de incêndios, manuseio de materiais perigosos, busca e salvamento de pessoas, etc. De maneira que, diante disso não se pode olvidar do que dispõe a Constituição da República Federativa do Brasil em sei artigo 6º, inciso V, que estabelece como direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social, piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho. Ora, conquanto os integrantes das polícias militares e os integrantes dos bombeiros militares não estejam inseridos nas categorias de trabalhadores ?urbanos? e ?rurais? não se lhes pode negar a equiparação salarial em face da extensão, natureza, grau de complexidade e periculosidade de seu trabalho. Neste aspecto oportuno o registro do autor da PEC onde diz: ?Além da injusta política salarial proporcionada a maioria dos policiais militares, o miliciano chefe de família é freqüentemente ameaçado e condenado a morte pelo crime organizado. Seu instrumento de trabalho é uma arma carregada e seu corpo um alvo visível e inconfundível pela farda, encontrável a qualquer dia e hora. Pela especificidade da profissão ? ?polícia ostensiva e a preservação da ordem pública?, só o policial militar pode e deve fazer o que faz.? Diante de tudo isto, caso a proposta consubstanciada na PEC nº 300, de 2008, venha a ser aprovada no Congresso Nacional e sancionada pelo excelentíssimo Senhor Presidente da República estar-se-á corrigindo uma distorção que grassa por todo Brasil, alcançando boa parte dos profissionais que atuam diuturnamente na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, no exercício das funções próprias de polícia ostensiva e dos profissionais que exercem as funções de bombeiro e executam atividades de defesa civil em todos os Estados da Federação. Assim, estando evidenciados a relevância e o interesse público de que a matéria se reveste, A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO manifesta seu apoio à Proposta de Emenda Constitucional nº 300, de 2008, que altera a redação do § 9º, do artigo 144 da Constituição Federal, visando estabelecer um critério equânime acerca da remuneração dos policiais militares e bombeiros militares, e apela aos Excelentíssimos Senhores Presidentes do Senado Federal e da Câmara dos Deputados a fim de que empreendam esforços na aprovação desta medida, com a máxima brevidade possível. Sala das Sessões, em 13-2-2009. a) Olímpio Gomes Atenciosamente Deputado Major Olimpio Gomes.
Vamos acreditar!
IGUALDADE DE DIREITOS JÁ!
POLICIAIS MILITARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: VAMOS REAGIR!

8 de março de 2009

EXPONDO FATOS E IDÉIAS

Estou de volta depois de um pequeno período de descanso. É verdade que ficar de fora da "blogosfera policial" é angustiante e eu não prefiro não me ausentar por muito tempo do que além de 1 mês ou mais, mas desta vez fui um pouco além.
Mas, passado este perídodo, tive tempo para reorganizar idéias e repensar este blog. E, após ter pensado bastante, irei agora focar meus assuntos em fatos relativos ao Governo do Estado, de forma direta, e não à Segurança Pública somente. Com isso, estarei ampliando o rol de infomações e principalmente, adotando esta postura, estarei tendo um visão mais abrangente de nossos problemas e porque eles existem e/ou são resolvidos ou não. Neste caso, teremos a oportunidade de reunir e formar uma opinião mais concreta e tentar enxergar o porque das coisas. Obviamente, o blog "Um Conto de Fardas" terá objetivo e foco (Segurança Pública), porém irei na raiz para que todos nós possamos expor e tentar expulgar esse mal que afugenta nosso Rio de Janeiro, nosso Brasil. Então vamos nessa.
Vou começar primeiro com as boas notícias. A PEC 300 está com os refletores apontados para ela. Muitos políticos estão tentando se promover em cima desta proposta e nessa corrente, estamos nós, que devemos cumprir nosso papel. Já existe um abaixo assinado on-line (http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/3863) onde lá devemos fazer o que já sabemos. É do nosso interesse, da sociedade, de todos. Estamos vivendo o caos na Segurança Pública e a casta não está nem aí. Mas nós, que precisamos dela, temos a obrigação de mudar isso. Ou senão acordaremos em estado de sítio já já.
Que o Gov. Sérgio Cabral é um incompetente todos nós sabemos. Mas imaginem a dupla dos Garotinho voltando ao poder. Impossível? Sabemos que não é. E já estão mexendo seus pauzinhos para voltar a roubar aqui. Está ruim com o Cabral? Ficará pior, muito pior com o Casal 20.
Os políticos não sabem mais o que fazer ou deixar de fazer para continuar no comando. Só não fazem o que tem que ser feito.
Olimpíadas? Copa do Mundo? Sim. Hospital, escola? Não. Deveriam entregar o Rio de Janeiro para os turistas de uma vez por todas. O capital que aterrisa em solo fluminense não é convertido em benfeitoria! Cadê a verba? O Paes está recapeando algumas principais estradas e ruas da cidade. Muito bom. O salário dos motoristas da SAMU que foram demitidos está servindo para alguma coisa.
Falta virtuosidade. Os valores foram substituídos pelo bem estar próprio, individual. Os princípios, foram invertidos. O Estado é e deve ser o instrumento de realização do indivíduo. Não é isso o que percebemos mas nem por isso podemos deixar de lutar. A Democracia é a nossa principal arma. Mesmo em instituições militares, como a PMERJ, que possuem uma "casca", onde seus comandantes estão em uma zona de conforto e dela não querem sair jamais, podemos sim, imputar-lhe a Democracia. Ela queira ou não. A sociedade está embutida de todos os valores necessários para a convivência social harmoniosa. Ou seja, em nós. Precisamos gostar e entender de política. Caso contrário, seremos governados por quem gosta.
Está sendo injustiçado? Processe. Corra atrás. Seja quem for. Não deixe passar em branco. O "deixar pra lá" alimenta ainda mais esta situação de crise. Vamos explodir essa onda de corrupção e criminalidade. Se nós, a sociedade, cruzarmos os braços, aqueles que já estão "lá" vencerão. Vamos respeitar as leis. E fazê-las funcionar. A adesão à lei é o princípio da reciprocidade. Podemos então começar a partir daí. E conseguiremos um dia estancar esse mal.
FORÇA, HONRA E FÉ.

"Quando o Estado abandona seus servidores, deixando-os à mercê do outro lado, é porque, muito provavelmente, o Estado está do outro lado"

Giovanni Falcone, Juiz italiano especializado em processos contra a máfia siciliana Cosa Nostra.

"Uma sociedade é livre na medida em que propicia o choque de opiniões e confronto de idéias. Desses choques e confrontos nasce a Justiça e a Verdade, garantido o progresso e auto-reforma dessa sociedade".

Stuart Mill

“A injustiça que se faz a um é uma ameaça que se faz a todos”.

Barão de Montesquieu

"Aqueles que planejam o mal acabarão mal, porém os que trabalham para o bem dos outros encontrarão a felicidade"

Provérbios 12.20