26 de abril de 2010

POLÍCIA MILITAR DO CEARÁ DEU O RECADO

Parabéns, Policiais Militares do Ceará!

Mostraram que são homens de verdade, todos unidos numa só causa! No dia em que o Rio de Janeiro tiver homens de verdade nos quadros da PMERJ, faremos o que vocês ontem fizeram!!

Entretanto somos covardes. Preferimos nos rasgar de trabalhar em uma segurança e/ou nos vender para a corrupção.



Leia no Diário do Nordeste, clicando no título deste post.


23 de abril de 2010

SERÁ QUE MERECEMOS UM BOM SALÁRIO?

É uma pergunta idiota. Quem não deseja ganhar um salário digno. Mas será que realmente merecemos?

Está ficando realmente admitir ou mesmo acreditar que o policial do Rio de Janeiro realmente quer ter um salário digno. Ou se merece. Será que merece? O dinheiro ilícito está falando muito alto. E além do ganho ilícito, o din din da segurança então nem se fala. Tem conhecido meu que está se matando em segurança e, com menos de 1 ano de caserna, já vai comprar seu carro zero!

Então penso eu: será que ele se importa com PEC ou salário digno?

Esta conduta também alimenta e fortalece o argumento de algumas autoridades do governo, que sabem que alguns de nós ganham muito mais do que qualquer policial da PMDF. Para quê, então, aumento?

O próprio Governador Marcello Alencar, no seu primeiro mandato (diziam alguns, um baita cachaceiro (todo mundo sabe)), disse a seguinte frase: "Para que PM quer aumento, se já possui uma carteira e uma pistola?"

É facil perceber que a crise da PMERJ é uma crise existencial. A Instituição, além de ser dividida, possui ainda outras sub-divisões, individuo-pessoais,no estilo cada um por si. E a Instituição somente faz sentido e só tem razão de ser se soar em uníssono.

Como queremos ter então a tão sonhada Segurança Pública dentro destes conceitos? É fácil conculir: jamais.

Soma-se a isso a correria desenfreada para o acúmulo de riquezas e bens materiais, adicionado ao poder(!?) que a pistola e a carteira de papa mike proporciona àqueles que não possuem conhecimento suficientes para perceberem que são escravos deste sistema. Não é possivel para estes perceber que são escravos de si mesmos.

Alguns dois ou três amigos eu ajudei a entrar nesta corporação. Dei dicas de como proceder na fase de seleção a fim de evitar uma possível reprovação. Dicas, digo eu, como regras de conduta e de comportamento básicos, já que eram extremamente "paisanos", acostumados coma  vida relaxada e falta de compromisso com horário, etc.

Após adentrarem, hoje em dia já seguiram o caminho da mal. É muito fácil. É atraente. É Deslumbrante. E cega.

PEc 300? Para quê?

A tão sonhada vida agora é realidade. O buraco foi suprido com o "kit polícia", e a vida minguada e de dureza ficou para trás. Até os amigos que ajudaram a construir uma vida melhor e galgar o caminho da vida policial foram deixados para trás. Para que serei útil agora, se nada mais tenho a oferecer?

Operação Padrão? Para que?

Em um dia de RP o policial tira, em dias ruins uns 100 reais em média. Imagine num mês.

Salário digno para que?

Em um boa segurança, um policial tira 120 reais por dia. (Nas seguranças medianas, uns 60 reais).

Filosofando um pouco agora. Quem é usuário do metrô sabe. Existe um aviso para não cair no buraco entre o metrô e piso do hall no embarque. É só ficar atrás da faixa amarela e quando a porta se abrir, não pisar no buraco. Nos países de língua inglesa, esta advertência chama-se "mind the gap".

O aviso, ao nos alertar para a existência deste buraco, me fez pensar e viajar. Será que ele nos mostra também a distância entre a vida que nos almejamos, que nós sonhamos, e a vida como realmente ela é?
Entretanto nos esquecemos deste gap e o pulamos, não nos importando com quais métodos utilizamos para transpor o obstáculo. Temos a tendência de esquecer facilmente como e de que maneira, conseguimos pular o buraco.

Alguns de nós da segurança pública, estamos atrás deste buraco. E outros porém já o pularam.
E ao que me parece, aqui no Rio de Janeiro, este buraco para alguns parece não existir ou pelo menos, conseguiram pular sem se importar com o método utilizado para transpô-lo.

E os que não pulam, se importam com o intervalo. Mind the gap. Cuidado com o vão. Porque é onde agente costuma se machucar. É onde o chão costuma desmoronar abaixo de nossos pés.

Parabéns aos que pularam o vão. Nós, que não pulamos, "we mind the gap".

Mas quem vai saber. É só um devaneio.

Enquanto isso ficamos nos degladiando, oficiais vs praças, numa luta sem fim.

Não vejo muito sentido nesta briga e nem há mesmo algum sentido. Aliás, quero deixar claro que quando ataco ofiais de polícia, me refiro sempre aqueles que me desrespeitaram uma ou outra vez, e não aqueles que eu não conheço. Eu não pretendo generalizar. E em contrapartida eu também gostaria de não ser generalizado. Já basta a sociedade, que chama o PM de corrupto. Eu não sou corrupto. Não sou ladrão. E sou PM.

Portanto, gostaria de chamar aqui os nobres oficiais,verdadeiros, se assim o desejarem, para se unirem a nossa causa. E chamo principalmente, também, as praças. Vamos ter um pouco de vergonha na cara. Vamos nos respeitar e trabalhar sério. Eu sei que deve ser difícil. Vamos parar de pegar o troco do pedágio da linha amarela, o "café" ou sei lá o quê. Vamos começar a prender o cidadão em situação irregular. Chega desta história de dinheiro sujo. Será que vale a pena se vender por tão pouco?

Assim conseguiremos a aprovação das PEC's e garantir os nossos direitos.

22 de abril de 2010

OPERAÇÃO PADRÃO - AMANHÃ

Caros senhores, visitantes, policiais e bombeiros militares de todo o Brasil: Nesta próxima sexta-feira, estaremos realizando uma OPERAÇÃO PADRÃO.

Todos já estamos articulados para que o Brasil páre, por falta de recursos administrativos e excesso de serviço.

O que será feito: Tudo. Qualquer irregularidade será conduzida à delegacia. Logo, estamos avisando que caso você, cidadão fluminense, estaja operando dentro da irregularidade, não abra o seu "negócio", ou será detido e conduzido, algemado se for preciso.

Estamos contando com todos nessa empreitada. Não vamos falhar. Vamos nos comunicar.
Nós, policiais e bombeiros honestos e dignos de vestir a farda do Estado, temos que focar neste assunto em questão.

Você, caro agente de segurança pública, é digno de vestir a farda do Estado? Então proceda, nexta sexta-feira, com a OPERAÇÃO PADRÃO.

Você, caro agente de segurança pública, deseja ser respeitado? Então se dê o respeito.
SEXTA FEIRA - DIA 23 DE ABRIL
OPERAÇÃO PADRÃO

11 de abril de 2010

PARALISAÇÃO NACIONAL - MOBILIZAÇÃO

OBVIAMENTE QUE NÃO QUERÍAMOS CHEGAR A ESTE PONTO. UM POLICIAL NÃO DEVERIA NO SEU ÍNTIMO, JAMAIS PENSAR EM GREVE. 

NUNCA FUI A FAVOR. RELUTEI POR MUITO TEMPO ALIÁS. MAS EM CERTOS MOMENTOS, MEDIDAS DRÁSTICAS SE FAZEM NECESSÁRIAS. PRINCIPALMENTE MEDIANTE SITUAÇÕES COMO A QUE ESTAMOS VIVENDO E PASSANDO. 

ESTAMOS NO LIMITE DO DESCASO. ACREDITO ENTÃO QUE RETRIBUIR ESTE DESCASO SERIA UMA ALTERNATIVA A ALTURA: POIS QUEM COM FERRO FERE COM FERRO SERÁ FERIDO.

PARALISAÇÃO NACIONAL.
DEVEMOS NOS ARTICULAR.

 


OFICIAIS DE POLÍCIA: 

TENHAM HOMBRIDADE E SEJAM HOMENS, ASSIM COMO VOCÊS SÃO QUANDO NOS PUNEM. 

A POLÍCIA NÃO É DE VOCÊS, COMO TANTO COSTUMAM ESBRAVEJAR?

ENTÃO PORQUE NÃO LUTAM COMO HOMENS DE VERDADE POR ELA?

AO INVÉS DE FICAREM AÍ SE SUJEITANDO POR UMA INSTITUIÇÃO DE COVARDES, POR QUE NÃO VÃO A LUTA?

USEM ESTAS ESTRELAS PARA ALGO QUE VALHA  A PENA, E NÃO PARA OSTENTÁ-LAS PARA NÓS, PRAÇAS, PORQUE PARA NÓS ELAS NÃO VALEM NADA, JÁ QUE SOMENTE SÃO USADAS DENTRO DOS BATALHÕES.

FORA DELES, VOCÊS NÃO SÃO NINGUÉM. 

SEJAM HOMENS DE VERDADE. PAREM A POLÍCIA.
E DEIXEM DE SER COVARDES. VOCÊS PODEM.

ESTRELA PARA MIM NÃO TEM VALOR.

CONHECIMENTO E ATITUDE: DUAS PALAVRAS QUE VOCÊS DESCONHECEM.





8 de abril de 2010

AS PIORES CHUVAS DESDE 1966. AS CHUVAS DO DESCASO.

Uma série de fatores contribuíram para a tragédia que ainda assola o Estado do Rio de Janeiro. Mas não pense que foi a temperatura média do aceano acima do normal somada a frente fria ou chvas de término de verão. Não caros leitores e amigos. Não foi isso. O resultado das mais de 170 mortes até agora, foi um inimigo que conhecemos há muito tempo: o descaso. 

O descaso de mais de 30 anos de governos ladrões e corruptos, que não investiram de acordo com a demanda populacional e o crescimento da cidade. E neste momento,  nada agora vai adiantar. Aclamar para que a população deixe as áreas de risco, nesta altura do campeonato, é um ultraje. Uma piada de extremo mau gosto.

Quem sofre somos nós. "Eles" não viviem o que nós vivemos. Não passam o que nós passamos. Estamos à deriva, por um sistema falido, em todas as esferas conhecidas. O Estado cresceu e não temos saúde, educação, segurança. Falta tudo. Não há infraestrutura adequada. Os morros estão ocupados irregularmente. O caos, enfim, impera no Estado. E as pessoas estão se sentindo desamparadas.

Neste momento não há muito o que fazer. E seria mais interessante que as ditas "autoridades" calassem a boca e começassem a trabalhar sério, e não somente quando tragédias como essa acontecerem.

Nós últimos dias eu não tinha postado muito, pois estou sem computador e com isso estou postando fora de casa. Isso tudo somado as provas da faculdade e também, com uma espécie de mau pressentimento. Às vezes precisamos dar uma parada para rever conceitos e curar algumas feridas da nossa batalha. Mas agora a luta é de todos.

Nestas "chuvas", já consideradas as piores desde 1966, temos mais uma vez a chance de refletir. Vamos nos ater aos abutres da política, que aparecerão neste momento de sofrimento e fragilidade da população menos favorecida, para angariar votos. Vamos ter cuidado. E vamos rezar pelas almas perdidas nas chuvas do descaso que assolam nosso  já sofrido Estado do Rio de Janeiro.

6 de abril de 2010

CIDADE OLÍMPICA NAUFRAGA OUTRA VEZ

Desta vez até eu não cheguei em casa. Um micro-riacho que fica próxima a minha residência, parecia um oceano. Não foi brincadeira. Por telefone avisava para as pessoas não saírem do trabalho e permanecerem onde estavam. E para atravessar para o outro lado, só encarando o oceano. Onde foi a marca da água? Na linha do umbigo caros senhores. Logo imaginei como estaria o resto da cidade. Mas, não é uma cidade olímpica? Que está preparada para a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016? Que estranho....

"Quando o Estado abandona seus servidores, deixando-os à mercê do outro lado, é porque, muito provavelmente, o Estado está do outro lado"

Giovanni Falcone, Juiz italiano especializado em processos contra a máfia siciliana Cosa Nostra.

"Uma sociedade é livre na medida em que propicia o choque de opiniões e confronto de idéias. Desses choques e confrontos nasce a Justiça e a Verdade, garantido o progresso e auto-reforma dessa sociedade".

Stuart Mill

“A injustiça que se faz a um é uma ameaça que se faz a todos”.

Barão de Montesquieu

"Aqueles que planejam o mal acabarão mal, porém os que trabalham para o bem dos outros encontrarão a felicidade"

Provérbios 12.20