10 de novembro de 2010

PROCEDIMENTO INVESTIGATÓRIO "NAS MÃOS" DO BOPE?

O Policial Militar Eduardo Marcelo Medeiros dos Santos, 28 anos, pode ter sido assassinado, durante o curso de Ações Táticas, que é exigido para ingresso na tropa de elite da PMERJ, o BOPE.

O irmão do soldado acusa o BOPE de assassinato, pois segundo ele, a face de seu irmão estava desfigurada, segundo informações veiculadas na mídia. O BOPE diz que não, através da assessoria de comunicação da unidade, o Capitão PM Ivan Blaz.

E sabe quem ficará responsável pelo procedimento investigatório? Exatamante: o próprio Batalhão de Operações Policiais Especiais, "vulgo" BOPE.

Nada contra a unidade e seus integrantes. Mas como assim, a cargo do BOPE? E o contraditório? Parece piada de extremo mau gosto.

É óbvio que os fatos devem ser rigorosamente apurados contudo, PELO ÓRGÃO COMPETENTE!
Nada impede que a própria PMERJ faça suas investigações mas pelo amor de Deus, VAMOS ACORDAR!!

Ministério Público: abra o olho! O Estado está matando seus integrantes, ativa e passivamente. Já bastam as péssimas condições de trabalho que são impostas pelo governador  reeleito (tristeza)  aos chamados "barrigas azuis".

Fica aqui a dica para que o irmão do soldado supostamente assassinado vá atrás de seus direitos. Não deixe mais este crime ficar impune. Curso é curso. E os limites devem ser respeitados. Se houve excesso, que seja apurado e os seus responsáveis, punidos.

E aqueles que estam sonhando com o BOPE, tomem cuidado: mais mortes acontecerão. E pior: tenderão a ficar também impunes (se nada for feito neste caso).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Quando o Estado abandona seus servidores, deixando-os à mercê do outro lado, é porque, muito provavelmente, o Estado está do outro lado"

Giovanni Falcone, Juiz italiano especializado em processos contra a máfia siciliana Cosa Nostra.

"Uma sociedade é livre na medida em que propicia o choque de opiniões e confronto de idéias. Desses choques e confrontos nasce a Justiça e a Verdade, garantido o progresso e auto-reforma dessa sociedade".

Stuart Mill

“A injustiça que se faz a um é uma ameaça que se faz a todos”.

Barão de Montesquieu

"Aqueles que planejam o mal acabarão mal, porém os que trabalham para o bem dos outros encontrarão a felicidade"

Provérbios 12.20