16 de dezembro de 2008

FIM DE ANO NA PMERJ

É senhores...Mais um ano está acabando. Contudo na PMERJ é uma data com pressentimentos ruins, principalmente para o Praça da PMERJ.

O Ano Novo está aí e está nos esperando, com um lindo POG a Pé, de mais de 14 horas, sem quaisquer condições de serviço dignas de um ser humano. Lembro que no ano passado banquei nada mais nada menos do que 16 horas de POG a Pé e, se eu contar todo o meu tempo, desde que saí de casa até o meu retorno, deram quase 22 horas de serviço ininterruptos. E de graça, claro. Sem mencionar que o serviço do militar começa 2 horas antes e 2 horas depois do previsto na escala de serviço.

Enquanto coronéis deleitavam-se nas sacadas de muitos hotéis de copacabana, nós nos esgueiráva-mos na multidão, no meio da areia, com um lanchinho maldito de ruim e, tendo que sacar do bolso para se alimentar ou mesmo, se humilhar, pedindo um pedaço de pão de cachorro quente que estava prestes a azedar. Não é brincadeira não, é sério.

Muitas pessoas em curtição e você ali, à serviço. Sabendo que no ano seguinte será a mesma coisa, e no ano seguinte, e no seguinte, e no seguinte.

Obviamente que o serviço policial demanda essa dedicação. É um serviço essencial e não pode parar. Entretanto, não somos escravos e muito menos, partes integrantes de um punhado de coronéis que não amam sua corporação.

Por isso vivo falando: Estudem. A vida na PMERJ é cruel. Sem lazer, sem nada. Enquanto os outros se divertem, nós estamos trabalhando. E de graça. Largados. A própria sorte.

Não está mais valendo a pena. Há muito tempo. Enquanto tivermos essa corja de impostores no comando e esse governadorzinho barato e ridículo, nada irá mudar. Temos que expurgar esse mal do nosso Estado (PMDB) para que pelo menos tenhamos alguma ponta de esperança. Mas até lá, estudem, estudem.....

FORÇA, HONRA, FÉ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Quando o Estado abandona seus servidores, deixando-os à mercê do outro lado, é porque, muito provavelmente, o Estado está do outro lado"

Giovanni Falcone, Juiz italiano especializado em processos contra a máfia siciliana Cosa Nostra.

"Uma sociedade é livre na medida em que propicia o choque de opiniões e confronto de idéias. Desses choques e confrontos nasce a Justiça e a Verdade, garantido o progresso e auto-reforma dessa sociedade".

Stuart Mill

“A injustiça que se faz a um é uma ameaça que se faz a todos”.

Barão de Montesquieu

"Aqueles que planejam o mal acabarão mal, porém os que trabalham para o bem dos outros encontrarão a felicidade"

Provérbios 12.20